quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A Origem da Mochila

Indispensável na vida moderna, ela nos acompanha na escola, no trabalho, em viagens e há quem tenha mesmo adquirido o hábito de levá-la sempre consigo, onde quer que vá. Ela está sempre com você, mas de onde ela veio? Para onde vai?

O excelente site de etimologia "Origem da Palavra", conta aqui uma história interessantíssima não só sobre a origem latina da palavra "mochila", mas sobre uma série de outros objetos hoje tão comuns e cuja história nos passa despercebida. Vale a pena passar por lá! E aqui eu transcrevo um trecho:

Os (...) "romanos costumavam fazer uma coisa para distinguir os seus criados: cortavam-lhes rente o cabelo. Devido a isso, eles eram chamados mutilus, “mutilado”. Acho que eles apreciavam muito os cabelos, a ponto de chamar de aleijado aquele que não os podia usar longos. Por isso, mutilus acabou significando “criado”. Após uma passagem pelo Basco, a palavra passou a motxil, e acabou designando o saco que muitas vezes os servos levavam às costas para carregar os objetos dos seus patrões – ou seja, a “mochila" (...)

Embora o termo em português derive do latim, o que compreendemos hoje por mochila tem muito mais em comum com a origem do termo em inglês (backpack), surgido nos Estados Unidos em 1914 e que carrega todo o conceito de individualidade, praticidade e liberdade inerente à mesma. 

Há quem especule que a idéia da mochila, tal como a conhecemos hoje, tenha tomado forma a partir de uma edição da revista "Outing Magazine", que ensinava a "dobrar uma coberta de forma que virasse um pacote para carregar nas costas". Logo esse modelo caiu no gosto popular, sofreu customizações e passou a ser usado especialmente para explorar lugares selvagens.

Na época, viajar não era coisa comum a todos. E quando se fazia, a bagagem era carregada em baús ou mesmo caixotes de madeira. Era preciso também que alguém os carregasse. Ou seja, se você fosse uma jovem senhorita indefesa e "dura", a viagem seria um pequeno tormento. 

Símbolo de mobilidade e liberdade, a consagração da mochila como um acessório urbano se deu mesmo nos anos 90, suplantando especialmente as bolsas para livros nas escolas e as bolsas de compras. Substituiu mesmo as maletas de trabalho, especialmente para os jovens profissionais. 

Feitas hoje de materiais de altíssima tecnologia, são super confortáveis, desenhadas de forma a distribuir o peso, com alças que não machucam os ombros. Podem ser impermeáveis e ter compartimentos especiais para notebooks, transportando o conteúdo com segurança e comodidade. Neste último caso, por chamarem menos atenção para o conteúdo do que as maletas tradicionais para laptops e notebooks, ajudam a prevenir assaltos.

Foi-se quase um século de evolução constante em formatos e materiais desde a origem do termo. E o que mais está por vir? Para onde vai? Certamente para algum lugar muito mais confortável do que o daquela mocinha desamparada, arrastando desajeitadamente aquele caixote sem alça, esperando que algum bravo cavalheiro a salve!


2 comentários:

Antonio Ivan disse...

Legal! Gostei Muito da matéria!! Abçs

Anônimo disse...

Preciso do nome do autor do texto para referenciar uma pesquisa.